domingo, 21 de maio de 2017


domingo, 14 de maio de 2017


sexta-feira, 12 de maio de 2017

Gaúcho, eu Sou Gaúcho 
Periquito de Tradição 
Gaúcho teu nome viverá 
Sempre dentro do meu

Coração

terça-feira, 11 de abril de 2017


CIDADE   DE PASSO FUNDO 

Brasil Visto de Cima....    Canal Globosat
É Sport Clube Gaúcho... é BSBios Arena ....

Você pode Ver ....

https://t.co/cTS7LelYtQ


domingo, 9 de abril de 2017

O futebol ...além das 4 linhas


Presidente fala sobre :
Planejamento - 
Dupla Grenal na Terceirona - 
"empresários " 
" jogadores" " 
O mundo ,Sujo, do futebol ......











domingo, 12 de fevereiro de 2017

Entre em Contato...

Agora está mais fácil para entrar em contato com o Sport Clube Gaúcho de Passo Fundo  RS 



Acesse o Link :

https://www.facebook.com/sportclubegaucho/

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

10 times que marcaram o Gauchão

Relembre o Gaúcho de 1973, o time do zagueirão Daison Pontes e do goleador Bebeto

Equipe deixou um rastro de gols e chegadas duras nos anos 1970

Por: Cléber Grabauska
30/01/2017

Daison Pontes (à esquerda) foi um zagueiro viril e vigorosoFoto: Ver Descrição / Agencia RBS 

Daison Pontes e Bebeto: um zagueiro que batia até em árbitro e um atacante que marcou 173 gols pelo clube e sagrou-se duas vezes artilheiro do Gauchão Esses dois nomes integraram o time do S.C. Gaúcho no estadual de 1973 e tornaram-se verdadeiras lendas do futebol de Passo Fundo.

— Foram dois jogadores que tiveram sua notoriedade na cidade e também no futebol do Rio Grande do Sul. O Daison teve um problema em relação arbitragem. Acabou agredindo um juiz e acabou ficando muito tempo fora do futebol. Já o Bebeto foi um goleador extraordinário, reconhecido nacionalmente — atesta Ari Machado, comentarista da Rádio Planalto.

Daison, natural de General Câmara, foi o mais famoso dos irmãos Pontes. Não o melhor, mas o mais conhecido. Os outros eram Bibiano, que jogou no Inter durante a década de 1970, e João, que atuou com o próprio Daison no Gaúcho. Mesmo que tivesse alguma qualidade, Daison notabilizou-se pelo jogo viril. Chegou a jogar no Flamengo do Rio, mas ficou apenas três meses porque batia muito, inclusive nos colegas durante os treinos, e acabou sendo dispensado.
Foto: Reprodução livro Bebeto o canhão da Serra / Reprodução

O pesquisador Marco Antônio Damian conta que Daison, quando jogava pelo Cruzeiro de Porto Alegre, participou de uma excursão e, num jogo na Costa Rica, deu um carrinho num cachorro que invadiu o gramado. A torcida local não perdoou e começou a gritar: assassino de cachorro, assassino de cachorro.

Já Bebeto era muito mais tranquilo. Mas isso não impediu que fosse chamado de Canhão. Ou melhor, Canhão da Serra, apelido dado pela imprensa passo-fundense em razão da habilidade em bater na bola.

Segundo pesquisa de Lucas Scherer, Bebeto marcou 399 gols e foi o maior artilheiro da história do Gaúcho com 263 gols. Ele foi artilheiro em 1973 com 13 gols e repetiu a dose em 1975, dividindo a liderança com Tarciso, do Grêmio. No total, ele marcou 173 em jogos válidos pelo Gauchão.

Foto: Adolfo Alves / Agencia RBS

Alberto Vilasboas dos Reis, natural de Soledade, chegou a Passo Fundo para estudar. Entre as aulas do curso técnico de Contabilidade, achou tempo para iniciar a carreira no 14 de Julho em 1966. No ano seguinte transferiu-se para o Gaúcho e entre idas e vindas jogou pelo clube até 1985. Ao longo desse período, teve passagens por Corinthians, Inter, Bahia , Grêmio e Caxias, entre outros. Bebeto faleceu em 2003, aos 57 anos.

Daison faleceu em 2012. Seu nome tornou-se uma ameaça para os centroavantes gaúchos. Pois, se dizia na época, que centroavante bom era o que sobrevivia aos jogos contra o Gaúcho no Wolmar Salton.
— Jogar no Wolmar Salton era muito complicado, pois ali estavam os irmãos Pontes. O Daison era forte e partia para o embate com muita força. E isso fazia com que os atacantes, não só da Dupla Gre-Nal, jogassem de uma forma mais macia, evitando o choque — destaca Ari Machado.
Daison tinha cara de mau. Batia e dizia que batia. Fazia declarações fortes e não tinha medo de encarar ninguém, nem mesmo a arbitragem. Acabou expulso 18 vezes ao longo da carreira.

O seu episódio mais conhecido aconteceu em 1974 num jogo entre Gaúcho e Inter de Santa Maria. O árbitro José Luís Barreto advertiu Daison dizendo que, caso ele não parasse de bater, ele marcaria pênalti. E após mais uma falta do zagueiro, Barreto assinalou a arbitragem. Furioso, Daison partiu para cima do árbitro desferindo socos e pontapés. O resultado da confusão foi uma suspensão de 18 meses dos quais ele cumpriu doze e depois recebeu uma redução da pena.

Bebeto e Daison fizeram parte da campanha do Gaúcho em 1973.

O time-base tinha Carlos Alberto, Gringo, João Pontes, Daison Pontes e Luiz Canos, Raul Matté, Paraná e Luiz Freire, Levinha, Bebeto e Serginho. Naquela edição do Gauchão, a equipe terminou em sexto lugar, num campeonato em que o Inter alcançou o pentacampeonato e que foi o último de Daison e Bebeto, duas lendas do nosso futebol.


*ZHEsportes

domingo, 18 de dezembro de 2016

A Primeira Vez .

A Primeira Vez ..... a Gente não esquece


O dia 18 de dezembro de 1966, como hoje,também foi um domingo.Passo Fundo acordou cedo e as pessoas tinham no semblante um misto de tensão e esperança. O tempo estava abafado e as nuvens negras se formavam no Boqueirão (o chovedouro).

O acanhado Estádio Wolmar Salton superlotou logo na primeira hora da tarde. O Gaúcho, de camisas verdes, calções brancos e meiões brancos adentrou em campo para a partida final contra o temível Uruguaiana. Somente a vitória servia, pois lá na fronteira a vitória foi dos donos da casa.

Vitória por qualquer resultado, levava para a prorrogação, que, em caso de empate, a decisão seria nas cobranças de penaltis. Jogando pela sua vida o Gaúcho foi empilhando gols e quando estava 3 x 0, o Uruguaiana visivelmente se poupou em campo, espera

O aguaceiro havia chegado ainda no tempo normal. O campo de jogo, que não era exatamente um tapete, ao contrário, era quase um terrão, ficou um lamaçal. Aos 14 minutos do primeiro tempo da prorrogação, Antoninho, um ponta-esquerda guerreiro, fez o gol do Gaúcho. No restante foi sofrimento. O Uruguaiana foi para cima e um centroavante chamado Abeguar, muito bom de bola, somente não empatou, pois o goleiro Nadir brilhou. Quase no final o Gaúcho também perdeu a oportunidade de resolver a partida. Mas, o 1 x 0 estava perfeito e quando o árbitro apitou o final do jogo foi um alvoroço.

A torcida entrou em campo, os jogadores eram carregados nos ombros, todos corriam, se abraçavam, choravam, se jogaram de roupa e tudo para dentro da piscina do clube e saíram pelas ruas, a maioria à pé, até o centro da cidade. Faltou cerveja nos bares de Passo Fundo.
E, eu estava lá, com meus parcos 10 anos de idade, ao lado do meu tio Guigota. Vibrei, chorei e quase me perdi de meu tio.

Os heróis alviverdes:

Nadir, goleiro revelado no Independente, aqui da cidade.

Machado, lateral, juvenil do Grêmio e que atuara no Flamengo de Caxias.

Amâncio, experiente, viera do Aimoré.

Daizon Pontes, excelente zagueiro, passou pelo Flamengo carioca, vinha do Pelotas.

Maneca, lateral, ex-juvenil do Grêmio, jogava no 14 de Julho, antes do Gaúcho.

Honorato, centromédio, de Cruz Alta, ex-jogador do Riograndense, de sua cidade natal.
Gitinha, veterano, era um misto de jogador, capitão do time e técnico, teve excelente passagem no Grêmio.

Meca, nosso Garrincha, driblador e goleador, veloz e técnico. Revelado pelo Veterano de Carazinho, havia atuado no 14 de Julho.

Arthur, o craque do time, jogador habilidoso, erado Flamengo de Caxias.

Raul Matté, centroavante goleador, que no final da carreira atuou como zagueiro. Simbolo da garra do time. Jogador do Juventude de Caxias.

Antoninho, ponteiro-esquerdo, que, junto com Raul, pertencia o Juventude.

O Gaúcho colocou a região norte do RS no mapa do futebol. Antes, apenas clubes de Porto Alegre, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Caxias do Sul, Bagé, Pelotas e Rio Grande, haviam participado do gauchão.

Nosso heróis em campo foram se encontrando aos poucos lá no céu. Devem estar comemorando. Falta apenas Honorato a se juntar à eles.

Esta é minha pequena homenagem ao Sport Club Gaúcho

sábado, 17 de dezembro de 2016

É NATAL

Neste Natal, dê sentimentos de presente...

Traduza seus sentimentos .dê de presente as camisas do Gaúcho...

CAMISAS DO GAÚCHO À VENDA :

Loja BOTOLI
Endereço: Rua Bento Gonçalves, 447 - Centro
ou pelo e-mail esporteclubegaucho@gmail.com
Fone 54 99981 4139




domingo, 4 de dezembro de 2016

Dê Sentimentos de Presentes

Neste Natal, dê sentimentos de presente...

Traduza seus sentimentos ..... 
dê de presente as camisas do Gaúcho...


CAMISAS DO GAÚCHO À VENDA :

Loja BOTOLI
Endereço: Rua Bento Gonçalves, 447 - Centro, Passo Fundo - RS


ou pelo e-mail esporteclubegaucho@gmail.com

BSBIOS

BSBIOS realiza encontro com clientes

A noite da última de quarta-feira (30) foi dedicada à confraternização entre os clientes, parceiros, lideranças do agronegócio, autoridades e fornecedores da BSBIOS. 

Mais de 500 pessoas participaram do VII Encontro Comercial BSBIOS, no Clube Comercial, em Passo Fundo (RS).O diretor presidente da BSBIOS, Erasmo Carlos Batistella destacou o crescimento do setor da agroenergia e sua importância nos pilares sociais, econômicos e ambientais.
 “Esse é um segmento jovem, que está em expansão, teremos a partir de março de 2017 o B8 – adição de 8% de biodiesel - e, chegando a 2019 com o B10. Essa perspectiva não traz benefícios somente para a indústria e, sim, para toda a sociedade à medida que se reverte em saúde, trabalho, renda e um ar mais puro para todos,” frisou o empresário salientando que é dever de todos contribuir na preservação do meio ambiente.
A atividade contou com palestras da jornalista da Globo News Cristiana Lôbo, do ex-Ministro da Agricultura e presidente da Associação Brasileira dos Proteína Animal – ABPA, Francisco Turra e do Cônsul da Austrália, Richard Gregory Wallis. 

Também estiveram presentes o Secretário Estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação Ernani Pólo, o deputado estadual Sérgio Turra, o prefeito de Passo Fundo Luciano Azevedo, o presidente da Câmara de Vereadores de Passo Fundo, Márcio Patussi, entre outras autoridades.